20 de agosto de 2014

Bela foto da Catedral de São José

Do álbum do Jayminho Bernardelli no Facebook, foto mostra nossa Catedral de São José e uma torre de telefonia entre neblina. Bela foto! Beleza tamanha que parece até uma montagem... 


Pelo ângulo, deve ter sido tirada do alto do Edifício Likes. Vou pesquisar quem foi o autor. 

Bill Withers - "Lovely Day"

Bill Withers (Slab Fork, West Virginia, 4 de julho de 1938 ) é um cantor e compositor norte-americano muito popular, que teve seu auge no início da década de 1960 até a metade da década de 1980. Suas mais conhecidas músicas incluem "Ain't No Sunshine," "Use Me," "Lovely Day," "Lean on Me", "Grandma's Hands" e "Just the Two of Us".

Perturbadora projeção no rosto de uma modelo


Projetar imagens sobre cenários e edifícios não é algo exatamente novo. O cinema vive se valendo desse recurso. A coisa toda fica mais interessante se, em lugar de uma tela verde ou um prédio, a projeção acontece no rosto em movimento de uma modelo. Foi o que fez a equipe do diretor técnico Nobumichi Asai. Asai usou uma tecnologia chamada Omote para seguir os movimentos do rosto de uma mulher e projetar uma espécie de “maquiagem virtual” sobre ele. Mais incrível que os efeitos gráficos – belos e perturbadores – é a capacidade do mecanismo de mapear o rosto para fazer a projeção sempre no lugar certo. Confira:


Homem alega que terra africana sem dono é seu reino para que sua filha seja uma verdadeira princesa


Jeremiah Heaton é pai de uma menina de seis anos de idade, Emily. Ela tem fixação por princesas, e um dia lhe perguntou, com toda a seriedade, se seria uma princesa de verdade em algum momento.

“Eu disse que seria”, conta o pai, que, mesmo sem querer levantar falsas esperanças, não quis acabar com um sonho da filha.

Então Jeremiah passou horas vasculhando a internet por algum território não reclamado para chamar de seu – e dar para sua filha o título oficial de princesa.

Ele concentrou sua pesquisa no termo “terra nullius”, em latim, que significa “terra que pertence a ninguém”.

Depois de vários meses de pesquisa, ele conseguiu localizar um deserto de cerca de 2.000 quilômetros quadrados na África, a milhares de quilômetros de distância de sua casa, em Abingdon, Virginia, nos EUA.

O deserto em questão é um território desocupado, reivindicado por Egito e Sudão, mas que não pertence a nenhum dos dois, devido a uma disputa de terras que remonta mais de 100 anos.

Localizado ao longo da fronteira com o Sudão, a meio caminho entre o local onde o Nilo atravessa a costa do Sudão e do Egito ao longo do Mar Vermelho, a faixa de terra é conhecida localmente como “Bir Tawil”. É um dos últimos pedaços de terra não reclamados no planeta.


Vários pretendentes já declararam online a propriedade do Bir Tawil, e Jeremiah sabia que tinha que fazer algo especial para se certificar de sua reivindicação se destacasse do resto. Então, ele ganhou permissão das autoridades egípcias e viajou até a África em 16 de junho, no sétimo aniversário de Emily, quando plantou uma bandeira azul com quatro estrelas (projetada por seus filhos) sobre uma colina rochosa, depois de uma viagem de caravana de 14 horas através do deserto.

Jeremiah inclusive renomeou Bir Tawil para “Reino do Sudão do Norte”, onde ele é o rei indiscutível e sua filha, a princesa. “É lindo aqui”, disse ele. “É um deserto árido no nordeste da África. Beduínos vagam pela área; a população é efetivamente zero”.


Quando voltou para casa, Jeremiah e sua esposa deram a Emily uma coroa – ela agora é tratada como princesa Emily pelos membros da família. “É legal”, disse a menina, que dorme em uma cama que parece um castelo.

Como princesa, ela quer ter certeza de que todas as pessoas da região tenham comida suficiente. “Isso é definitivamente uma preocupação naquela parte do mundo”, concordou Jeremias. “Discutimos o que poderíamos fazer como uma nação para ajudar”.

Jeremiah agora planeja fazer sua conquista oficial pedindo assistência a União Africana. Ele quer estabelecer formalmente o Reino do Norte do Sudão, e está bastante confiante de que conseguirá.

“Eu tenho a intenção de buscar o reconhecimento formal com os países africanos”, disse ele. Seu primeiro passo é fazer com que Sudão e Egito reconheçam o reino.

Surpreendentemente, Jeremiah tem certeza de que sua reivindicação sobre Bir Tawil é legítima. Ele explicou que o plantio de uma bandeira é exatamente o que outros países, incluindo os Estados Unidos, historicamente fizeram para reivindicar terras. A única diferença é que a sua conquista é um ato de amor, não de guerra. “Eu fundei a nação por amor a minha filha”, declarou ele.


De acordo com Sheila Carapico, professora de ciência política e estudos internacionais da Universidade de Richmond (EUA), Jeremiah tem necessidade de obter o reconhecimento legal dos países vizinhos, das Nações Unidas ou de outros grupos para de fato ter o controle político sobre a terra. Ela explicou que não é plausível que alguém plante uma bandeira e diga que agora tem o controle político sobre a terra, sem reconhecimento.

Infelizmente, os representantes das embaixadas do Egito e do Sudão em Washington ainda não responderam ao pedido bizarro de Jeremias.

Mas ele continua bastante otimista sobre o futuro de sua nova nação. “Sinto-me confiante da reivindicação que fizemos”, falou. “Isso é exatamente o mesmo processo que tem sido feito por milhares de anos. Se tudo correr conforme o planejado, a primeira prioridade do Rei Jeremiah é estabelecer relações positivas com o Sudão e o Egito por meio de conversão de seu reino em um centro de produção agrícola, do jeito que Emily quer”, explica o pai. [Revoada]

11 sinais de que você pode ter problemas com o álcool

Do Brasil Post - Por Beth Leipholtz* 


Depois de vasculhar os arquivos do meu blog pessoal durante o auge do meu consumo de álcool (segundo ano da faculdade), percebi uma coisa: eu pedia muitas desculpas.

Nada era minha culpa. Mas, mais importante, nada era culpa do meu bom amigo Álcool.

Hoje eu vejo isso claramente quando leio antigas postagens em que escrevi sobre estar deprimida, ter amizades tensas, estar frustrada com os estudos. Nunca me ocorreu que o álcool poderia ser a origem de todos os problemas que brotavam na minha vida -- isto é, até ficar sóbria.

Em retrospectiva, houve sinais em que eu deveria ter prestado atenção.

1. A maioria dos seus eventos sociais se concentra em torno da bebida. E se não há bebida você se sente decepcionada ou não quer mais participar. A única maneira que você sente que está se divertindo é com álcool em seu sistema.

2. Nada é culpa do álcool, jamais (quando na realidade a maioria das coisas é). Esta citação do Grande Livro da AA resume bem: "Alguma coisa ruim não acontecia todas as vezes que eu bebia, mas sempre que acontecia alguma coisa ruim eu tinha bebido". Pense nisso. A probabilidade é que seja verdade.

3. Você não se importa com as consequências e se convence de que tal acontecimento foi uma ocorrência isolada. Você apenas não previu aquilo, e na próxima vez estará preparada.

4. Mais de uma vez, você tomou uma decisão sem pensar muito bem sobre o sexo oposto (ou o mesmo sexo, se você segue essa linha). A probabilidade é de que se você bebe a ponto de seu julgamento ficar nebuloso com frequência, você deve largar a garrafa.

5. Suas ressacas se tornam mais graves. Em minhas primeiras semanas de tratamento, aprendi que as ressacas eram na verdade crises de abstinência. Isso me atingiu com força, apesar de eu me recusar a demonstrar. O fato de que acordava em algumas manhãs me sentindo como se tivesse morrido e voltado à vida não era o preço que eu pagava por uma noite de diversão, como eu queria dizer a mim mesma. Era o modo de meu corpo me dizer que eu não podia continuar fazendo aquilo. Sentir-se como se fosse vomitar a cada cinco minutos, sentir que você está se arrastando para fora da pele, ou suando não é normal.

6. A ilegalidade de beber e/ou estar em um bar antes da idade permitida não a assusta mais. Eu cheguei a esse ponto muito rapidamente, porque parecia que todo mundo com quem eu bebia também era menor. Eu tendia a esquecer que aquilo tinha consequências, assim como colocava em risco o bar por servir uma menor de idade.

7. Você racionaliza constantemente seu hábito. Como alguém me disse há algum tempo, as racionalizações são realmente apenas mentiras para fazer você se sentir melhor sobre seus atos. Muitas vezes eu me convenci de que algo não era minha culpa porque, por exemplo, eu tinha tomado uma bebida energética junto com bebida forte, e nunca mais cometeria esse erro. Muitas vezes eu repetia meus erros, mas racionalizava.

8. Uma já é demais; mais uma nunca é suficiente. Provavelmente o sinal mais revelador de um alcoólico é a incapacidade de parar de beber depois que começamos. "Mais um, mais um, mais um" está sempre passando por nossa mente.

9. Você percebe que precisa de cada vez mais álcool para sentir os efeitos na magnitude que deseja. Na primeira vez que me embriaguei, eu tomei duas cervejas. Duas cervejas = baixa tolerância. Perto do final da minha fase alcoólica, eu podia tomar sete a oito bebidas em duas a três horas e continuar no mesmo nível. Essa é uma tolerância extremamente alta.

10. Sua aparência física está mudando, e não para melhor. Algumas pessoas podem beber e não observar os efeitos fisicamente, mas se você bebe pesado é provável que seu corpo esteja reagindo negativamente. No meu caso, ganhei de 6 a 8 quilos e tinha uma cor de pele realmente doentia (sem falar nos danos internos).

11. Depois de uma noitada, você se vê fazendo controle de danos com muita frequência. Seja encontrar seus objetos pessoais ou pedir desculpas para alguém que você pode ter ofendido, realmente é uma merda. Sempre. E você realmente não percebe a imensidade desse peso até que ele é removido e você pode acordar de manhã perfeitamente capaz de se lembrar de tudo o que fez.

* Beth Leipholtz  
Jornalista, blogueira, jogadora de rúgbi e estudante universitária que se mantém sóbria

19 de agosto de 2014

Meus avôs sírios - anos 1950

Não, não é uma pintura, um quadro, trata-se de uma foto de meu avô materno, João Abrahão, em pé, ao lado de meu bisavô. 

O registro deve ser de meados dos anos 1950 e muito provavelmente em Álvares Machado ou Presidente Prudente, no interior paulista, onde meus avós se instalaram logo após chegarem da Síria. 

Lembro das deliciosas férias escolares que passei na casa do vô João e da vó Ana Daher [aquela feira livre em frente da casa deles, que começava no sábado à tarde e só terminava ao meio-dia do domingo, não me sai da lembrança nunca. Era o meu shopping center!]. 

Infelizmente eles morreram muito cedo. Lembro de minha mãe (Sallime) e meus tios (Abraão, Satuti e Tufic) conversando com eles em árabe. Quem sabe tome vergonha na cara e comece um curso para aprender a língua de meus ancestrais. Preciso também saber mais sobre eles, nem o nome do bisavô sei. Mesmo assim sinto muitas saudades!

Vô João Abrahão - anos 1950 - Álvares Machado (SP)

George Harrison - "Hear Me Lord"

George Harrison, MBE (Liverpool, 25/02/1943 — Los Angeles, 29/11/2001) foi um artista inglês, cuja carreira abrangeu diversas áreas. Músico, compositor, ator e produtor de cinema, Harrison atingiu fama internacional como guitarrista dos Beatles. Por vezes referido como "o Beatle quieto", Harrison, com o passar do tempo, tornou-se um admirador do misticismo indiano, introduzindo-o aos Beatles, assim como aos seus fãs do Ocidente. Após a dissolução da banda, ele teve uma bem-sucedida carreira solo; posteriormente, também obteve sucesso como membro do Traveling Wilburys e como produtor de cinema e musical. Harrison ocupa a 11ª posição da lista "Os 100 Maiores Guitarristas de Todos os Tempos", da revista Rolling Stone.

All Things Must Pass é o nome do primeiro álbum solo de Harrison, e o primeiro após a separação dos The Beatles. Foi também o primeiro álbum triplo a ser lançado por um único artista. Este álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

Câmera ultravioleta mostra os danos que o sol causa a sua pele


Ao convidar aleatoriamente pessoas na rua para verem a própria imagem por uma câmera ultravioleta muitos se assustaram, pois viram peles horríveis deterioradas pela exposição solar. Ao convidar crianças a posarem para a mesma câmera ultravioleta, o resultado anterior fica ainda mais chocante, pois as crianças como ainda tiveram pouca exposição ao sol exibiram peles bonitas e sem manchas.

Nunca damos valor a necessidade do uso constante e diário do filtro solar, porém após este vídeo talvez você possa mudar de ideia.



(Sedentário e Hiperativo)

Alimentação ao redor do mundo ajuda a emagrecer

Inspire-se nos hábitos saudáveis de diversas populações para perder peso


Os franceses, japoneses, ingleses, povos nórdicos e mediterrâneos e até mesmo os brasileiros, possuem hábitos alimentares que ajudam no emagrecimento. Na França é frequente dedicar um tempo para as alimentação, enquanto na Inglaterra ninguém fica de jejum com o chá da tarde. 

No mediterrâneo o consumo de gorduras boas torna as refeições mais saudáveis e gostosas e no Japão a população ingere alimentos inusitados para os ocidentais, mas proporcionam benefícios que vão desde maior biodisponibilidade ao combate e prevenção de alguns canceres. Saiba mais sobre esses hábitos e entenda por que eles auxiliam na perda de peso.  

França: tempo para as refeições
Os franceses dedicam tempo para se alimentar. Isto ajuda no emagrecimento, pois permite que o cérebro envie a mensagem ao estômago de que você está ficando saciado. "Este processo leva em média 20 minutos, mas muitas pessoas comem em 10 e acabam repetindo o prato", constata a nutricionista e chef Natalia Werutsky. 

Com maior tempo para se alimentar, os franceses também cozinham as próprias refeições. Assim, eles têm consciência do que é colocado na preparação. "Os restaurantes geralmente têm como base agradar o paladar do cliente e nesse sentido colocam um pouco mais de gordura, sal e açúcar nos pratos", alerta a nutricionista clínica funcional e chef Carina Boniatti, da Colherada Gourmet.

França: não fazer estoque de comida
Os franceses não têm o hábito de deixar grandes quantidades de alimentos em casa e isto é importante para quem quer emagrecer. Primeiro porque se aquela bolacha, barra de chocolate ou outra comida calórica não estiver disponível, a possibilidade de ingeri-la quando bater a fome é menor. 

Estocar muitos alimentos também pode prejudicar a qualidade deles. "Caso fique guardado por um longo período, a comida, mesmo se for um cereal, pode estragar, mudar o sabor ou diminuir a quantidade de nutrientes", conta Boniatti. Ao não fazer estoque, os franceses também compram mais alimentos frescos.  

Japão: alimentos inusitados e saudáveis
Os japoneses frequentemente ingerem alimentos saudáveis que não são tão comuns para a dieta dos brasileiros. Entre eles estão as algas, os cogumelos e a soja fermentada. O primeiro item é rico em: ferro; cálcio, responsável pela formação e manutenção dos ossos; selênio, que tem ação antioxidante; e iodo, que ajuda no funcionamento da tireoide. Os cogumelos são ricos em fibras, que ajudam no trânsito intestinal, possuem boa quantidade de proteínas e contam com beta-glucanas, que ajudam no combate ao câncer. 

A soja fermentada, utilizada para elaborar o missô e o tofu, também é interessante para a dieta. "Isto porque o alimento passa por um processo que torna seus nutrientes mais fáceis de serem digeridos no organismo", explica Boniatti. 

Inglaterra: lanches entre as refeições
O famoso hábito inglês do chá da tarde é ótimo para dieta. Comer entre as principais refeições irá manter seu metabolismo ativo. Além disso, a glicose é liberada aos poucos, o que gera saciedade e evita o risco de ingerir o que não deveria. "O jejum prolongado faz com que o corpo interprete que há o risco de passar fome, então passa a reter mais gorduras", conta Werutsky. 

Ao comer várias vezes durante o dia, as porções ficam menores. O quanto ingerir de cada alimento é o que faz diferença na dieta. "Não pode banir do cardápio, a palavra chave da alimentação é o equilíbrio, você pode comer batata frita, desde que seja uma pequena quantidade e não ocorra diariamente", orienta Werutsky. 

Brasil: comer mais frutas
Devido ao nosso clima, os brasileiros possuem abundância de frutas. Elas são ricas em vitaminas e sais minerais. As frutas amarelas possuem boas quantidades de carotenoides, que tem ação antioxidante. Maçã e banana são as mais consumidas pelos brasileiros. A primeira possui a pectina, que tem um efeito antioxidante e ajuda na circulação sanguínea, já a última possui o triptofano, que proporciona a sensação de bem estar e prazer. 

Mas variar nas frutas consumidas faz toda a diferença para a sua saúde. Inclua no cardápio alimentos como a manga, que é rica em vitamina A, importante para a visão, pele e cabelo; o abacate, que possui a glutationa que ajuda o fígado; a melancia, que conta com a arginina que auxilia a circulação. 

A tangerina é rica em vitamina C que previne e atenua os sintomas da gripe. A goiaba conta com o licopeno que ajuda na prevenção de alguns canceres e o coco, que tem uma gordura chamada triglicerídio de cadeia média que não fica acumulada no corpo. Todas essas são outras ótimas opções para variar nas frutas. A recomendação é comer entre três e quatro porções ao dia.  

Índia: temperos saudáveis
Na Índia o consumo de pimentas é frequente e isto ajuda no emagrecimento. "Trata-se de um alimento termogênico, ele incrementa o gasto metabólico em torno de 10%", conta Boniatti. Outros temperos consumidos pelos indianos também têm ação antioxidante e anti-inflamatória, são eles: açafrão, curry, cominho e cúrcuma. 

A cúrcuma possui propriedades anti-inflamatórias significativas. "O tempero auxilia o organismo como um todo, porém ajuda especialmente no combate da artrite porque possui a curculina, poderoso anti-inflamatório que auxilia no combate da doença que é uma inflamação das articulações", ressalta Boniatti.  

Países Mediterrâneos: gorduras boas
A dieta dos povos mediterrâneos, os gregos, italianos e espanhóis, é rica em gorduras boas presentes no azeite e oleaginosas. O azeite possui boas quantidade de gorduras monoinsaturadas que ajudam a regular o colesterol, ele ainda conta com substâncias antioxidantes que inibem a síntese do colesterol ruim, LDL, e previnem danos cerebrais. O azeite também possui um efeito anti-inflamatório que alivia dores e previne e combate a diabetes. 

As oleaginosas, como nozes, amêndoas ou castanhas, também são fontes de gorduras monoinsaturadas que assim como o azeite contribuem para reduzir o colesterol e evitam problemas cardíacos.  

Países Nórdicos: frutas vermelhas
Nos países nórdicos, como a Noruega, Suécia, Finlândia e Dinamarca, o consumo de frutas vermelhas é grande. Entre elas estão o morango, a amora, o cranberrry e o blueberry (mirtilo). Estas frutas são ricas em antioxidantes por possuírem flavonoides que previnem doenças degenerativas, câncer e o envelhecimento das células. 

As frutas também contam com antocianina. "Ela tem um forte efeito antioxidante que diminui a agressão dos radicais livres, melhora a circulação sanguínea e diminui a retenção de líquidos. É a antocianina que dá o pigmento da fruta, portanto quanto mais escura for, maior a concentração do nutriente", explica Boniatti. A jabuticaba, desde que ingerida com casca, a framboesa, a uva roxa e o açaí também proporcionam os benefícios mencionados.  

Países Nórdicos: peixes de águas frias e profundas
Nos países nórdicos há grande consumo de peixes e aqueles mais ingeridos são os de águas frias e profundas. Isto é interessante porque ao viverem em um local frio estes peixes tem tendência a acumular gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas. O ômega 3 é uma das gorduras poli-insaturadas presentes. Um dos seus principais benefícios é o controle do colesterol, pois ele diminui os níveis do LDL, colesterol ruim que em excesso pode causar problemas para a saúde. 

O ômega 3 também é benéfico para o cérebro porque uma de suas funções é contribuir para a formação da bainha de mielina, um dos componentes dos neurônios. Alguns peixes ricos em ômega 3 são o salmão, sardinha e arenque.  

Estados Unidos: proteínas no café da manhã
Apesar da dieta americana normalmente ser um exemplo de uma alimentação errada, o hábito de comer ovos no café da manhã é muito bom. "O ovo é uma fonte de proteína importante e proporciona saciedade ao longo do dia. Além disso, possui a colina substância que irá auxiliar na memória e concentração", afirma Boniatti. Opte por ingerir o ovo cozido ou mexido e a quantidade diária recomendada é um por dia. Não faça como os americanos e inclua o bacon no seu prato, em vez disso, combine o ovo com um pão integral. 

América Latina: ingerir grãos
Na América Latina é comum ingerir grãos como o feijão, arroz, milho e lentilha. Estes alimentos são interessantes por serem ricos em fibras, que auxiliam no trânsito intestinal, magnésio, importante para o trabalho muscular, e ferro, que compõe a hemoglobina e no transporte de oxigênio para todas as células do corpo. "Os grãos ajudam no emagrecimento por terem boas quantidades de fibras que proporcionam saciedade", diz Boaniatti. [Minha Vida]

Facebook passa a identificar conteúdo falso

Mais do que um site para se conectar com contatos, empresas e a mídia, o Facebook se transformou num lugar ideal para espalhar boatos falsos. Mas a maior rede social do mundo pode estar prestes a acabar com isso.


Recentemente o Facebook começou a testar a inclusão da palavra "sátira" ao título dos links que venham de sites especializados em notícias falsas - caso do The Onion ou, no Brasil, o G17, o Sensacionalista e o piauí Herald.

O Ars Technica flagrou a novidade e questionou o Facebook, que confirmou os testes. Segundo a empresa, trata-se de uma demanda dos próprios usuários, que pediram por uma forma mais clara de identificar o conteúdo satírico que circula pela rede.

Mas a forma como a tag está sendo usada ainda é complexa. Ao invés de ser mostrada junto aos links postados pelos usuários, ela só consta nas sugestões apresentadas pelo próprio Facebook. Quando um internauta clica num link na rede, o Facebook exibe automaticamente uma lista com três sugestões de páginas que ele poderia visitar, das quais ao menos uma pertence ao site que gerou as indicações.

Por exemplo: se você clicar num link do The Onion, aparecerão links de dois sites e outro do The Onion, que virá com um [Satire] (sátira, em inglês) antes do título original. Às vezes as três sugestões são do mesmo site e, neste caso, todas viriam com [Satire]. Se os três links forem de sites satíricos identificados pelo Facebook, os três terão a tag em seus títulos.

Não se sabe quando a novidade entrará em funcionamento pleno, e nem se ela será exportada a outros países. A operação não deve ser muito simples, já que depende de curadoria humana: o Facebook precisa saber que o site é especializado nesse tipo de brincadeira antes identificá-lo desta forma. [Olhar Digital]

15 de agosto de 2014

Laércio, Arnaud e os Fernandos no Clube 10 - Campo Mourão, anos 1970

Do final dos anos 1970, foto do álbum do Fernando Dlugosz mostra ele ao lado dos amigos Fernando Dolci, Láercio Daleffe e Arnaud Aparecido da Silva e Silveira durante carnaval -- ou pré-carnaval -- no Clube 10 de Outubro, em Campo Mourão.

Láercio e Fernando são médicos em Campo Mourão e o Arnaud engenheiro civil. Fernando é produtor rural em Goiás. Se não me engano, apenas o Arnaud era fumante e os demais apenas fizeram pose para o fotógrafo, que muito provavelmente era do Foto Seki. Clique na imagem para ampliar.

(da esq. para a direita): Laércio Luiz Daleffe, Arnaud Aparecido da Silva e Silveira, Fernando Dlugosz e Fernando Dolci
Campo Mourão/PR - anos 1970 

Doyle Bramhall II - "Rosie"

Doyle Bramhall II é um compositor, guitarrista e vocalista americano. Seu pai, um bluesman texano que abria os shows de Freddie King, co-escreveu, cantou e tocou bateria com o lendário Stevie Ray Vaughan e o irmão dele, Jimmie Vaughan. Doyle passou sua infãncia cercado pela família Vaughan, o que foi fator determinante para uma de sua maiores influências. Aos 16 anos, Doyle Bramhall II excursionou como segundo guitarrista na Banda de Jimmie Vaughan, The Fabulous Thunderbirds.

Em 1999, Doyle foi convidado por Roger Waters a compor sua banda como guitarrista e vocalista na turnê In the Flesh, fazendo as partes de David Gilmour (Pink Floyd), o que ele desempenhou com muita eficiência. Dessa turnê, saiu um DVD chamado "In the Flesh", que focaliza bem o trabalho de Doyle, seu feeling na guitarra e na voz, sem falar na maneira de como ele toca, com a mão esquerda, com guitarra de destro, sem inverter as cordas, deixando guitarristas e fans fascinados.

Casablanca Videolocadora: lançamentos da semana



A GUERRA DE MADDISON








A INVOCAÇÃO 2




Macho, mas não vamos exagerar...


Esse vídeo circula pela web e me diverte muito. Muitos, inclusive eu, só são machos até esse desafio ser proposto. Assista.

É hora de Acordar! Vídeo de Portugal que serve direitinho para o Brasil


O vídeo é de Portugal e é antigo (de 2012), mas serve perfeitamente para o que acontece hoje no Brasil.



Sedentário e Hiperativo