'Você tem cara de Felipe': segundo a ciência, há mesmo um sentido nisso

Fellipe Lima e a mana Flavinha Lima
Ser definido apenas pelo seu nome pode ser redutivo e simplista, mas não há como negar a surpresa quando alguém diz que você realmente tem uma cara que combina perfeitamente com seu nome. O fenômeno, acredite, tem base científica, segundo um recente estudo publicado pelo Journal of Personality and Social Psychology.

Como as pessoas se parecem com seus nomes
Com base em oito experimentos científicos, pesquisadores descobriram que os seres humanos possuem grande capacidade em adivinhar quais nomes estão ligados a quais rostos. A chance aleatória para escolher a resposta correta no teste entre cinco nomes seria de 20%, mas os participantes apresentaram acerto de até 35%.

E saiba que até mesmo algoritmos matemáticos alimentados por dados conseguiram, através de inteligência artificial, acertar um grande número de nomes quando relacionados a fotografias de rostos, segundo relataram os estudiosos.

É difícil dizer por que os rostos e os nomes funcionam em paralelo, mas os pesquisadores acreditam que trata-se de uma profecia autorrealizável. Nosso nome é a nossa primeira definição social e cada nome possui características associadas e compartilhadas dentro de uma sociedade, sugerem os cientistas.

Segundo a pesquisa, entre os estereótipos de nomes estão incluídas aparências faciais que nos daria uma representação compartilhada para o olhar certo associado a cada nome. As expectativas estereotipadas de como devemos olhar podem eventualmente se manifestar em nossa aparência facial.
[ MSN ]
Postar um comentário