Stúdio Old Tattoo

Stúdio Old Tattoo
Old Tatoo

Sete temperos naturais que você precisa experimentar

Substitua o sal e o açúcar das suas receitas por sementes, ervas e raízes


Temperos naturais são conhecidos por oferecem uma alternativa mais saudável ao excesso no uso de sal ou a formas de preparo prejudiciais à saúde - um refogado à base de ervas, por exemplo, pode ser bem mais saboroso do que uma fritura. "Os temperos naturais realçam o sabor do prato e acrescentam mais nutrientes, como ferro, vitaminas e fibras, sem aumentar quantidade de gordura", diz o nutrólogo Roberto Navarro, da Sociedade Brasileira de Nutrologia, de São Paulo. Muita gente torce o nariz para os sabores mais conhecidos, como coentro ou pimenta do reino, e, por não gostar deles, acaba deixando temperos naturais de lado. Mas que tal dar uma segunda chance para o seu paladar e experimentar temperos diferentes que, provavelmente, você nunca usou, mas que trazem benefícios à saúde.

Pimenta síria
Composta de pimenta da Jamaica, pimenta do reino, cravo da Índia e noz moscada, a pimenta síria é muito utilizada em pratos árabes, mas também pode ser acrescentada a carnes e sopas. Pesquisadores da Faculdade de Medicina de Harvard (EUA) afirmam que as pimentas contêm uma substância chamada capsaicina, capaz de prevenir o acúmulo de gordura abdominal. De acordo com o estudo, as pimentas são termogênicos naturais: sua ingestão eleva a temperatura do organismo, o que pode aumentar o gasto calórico. Os resultados foram publicados no periódico Digestive Diseases and Sciences. De acordo com o nutrólogo Roberto Navarro, da Associação Brasileira de Nutrologia, a capsaicina também possui um efeito anti-inflamatório, ajudando a tratar infecções. 

Uma pesquisa realizada na Universidade Miguel Hernández, na Espanha, demonstrou o cravo-da-índia é um potente antioxidante, combatendo os radicais livres e prevenindo o envelhecimento. "Já a noz moscada está presente no tempero apenas para dar sabor e aroma a preparação, não tendo benefícios diretos à saúde", diz o nutrólogo.

Cúrcuma
Um estudo feito pesquisadores do Centro de Pesquisa do Câncer de Cork, na Irlanda, e divulgado na revista British Journal of Cancer, descobriu que a cúrcuma pode ajudar a destruir células cancerígenas na garganta em até 24 horas após a ingestão do tempero. Segundo os pesquisadores, a cúrcuma funciona como alternativa no tratamento do câncer no esôfago. 

A cúrcuma é o pigmento amarelo extraído de uma flor chamada açafrão e combina muito com peixes, arroz, massas e frango. "O tempero possui efeito anti-inflamatório e antioxidante, ajudando a fortalecer a imunidade e prevenir o envelhecimento", afirma a nutricionista Juliana de Oliveira, da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). "No entanto, se consumida em altas doses ela pode irritar o estômago, principalmente em gestantes".

Mostarda em grão
Comumente usada na forma de condimento, a mostarda apresenta muito sódio e conservantes quando consumida em sua versão industrial. A nutricionista Juliana explica que a mostarda em grão, ou a semente de mostarda, apresenta uma quantidade de nutrientes maior que a sua folha, usada na preparação dos molhos. "Por estar no solo, o grão de mostarda é rico em minerais, em especial o selênio, que é um poderoso antioxidante", diz. "Esse benefício só pode ser aproveitado por meio dos grãos da mostarda, já que os antioxidantes se perdem nas outras partes da planta". Você pode acrescentar os grãos de mostarda a molhos, carne de porco e peixes.

Gergelim preto
A diferença do gergelim preto para o normal é que o primeiro possui uma concentração maior de nutrientes, principalmente o cálcio. "Ele também é uma boa fonte de proteínas e ômega 3, ajudando no combate ao colesterol e garantindo efeito anti-inflamatório", diz Roberto Navarro. Você pode usar o gergelim preto em saladas, carnes e até sopas.

Tomilho
Esta erva é muito versátil e pode ser usada em praticamente qualquer receita. "O tomilho contém ação antisséptica, protegendo o corpo das bactérias e é uma ótima opção para aliviar distúrbios intestinais e prevenir inflamações no trato digestivo", diz a nutricionista Juliana. Estudos recentes afirmam que a planta também é rica em flavonoides e manganês, poderosos antioxidantes.

Cardamomo
Nativas da Índia, as sementes de cardamomo são da mesma família do gengibre, por isso possuem efeito anti-inflamatório. "Pesquisas mostraram que o cardamomo ajuda a diminuir a oxidação das células do fígado, protegendo o órgão de infecções e doenças", afirma o nutrólogo Roberto. As sementes de cardamomo podem ser acrescentadas ao café ou então para aromatizar pães, carnes, pudins, doces, saladas de frutas e licores.

Gengibre seco
Conhecido por fortalecer a imunidade e por seus efeitos anti-inflamatórios, principalmente contra infecções de garganta, o gengibre foi recentemente relacionado ao tratamento de dores musculares. Um estudo publicado no The Journal of Pain descobriu que o consumo de gengibre pode aliviar as dores causadas pelos exercícios em até 25%. Segundo os pesquisadores, a ingestão diária do gengibre não ajuda a aliviar as dores musculares imediatamente após a atividade física, mas sim nos dias posteriores, levando a crer que ele pode atenuar a progressão diária da dor muscular.

O gengibre em sua forma seca possui uma concentração maior de nutrientes, porém o seu gosto fica ainda mais forte. "Por conta disso, ele deve ser usado com cuidado nos pratos (chás, pães, saladas, massas e sopas) para não deixá-los com um ardor excessivo", diz Roberto Navarro. "Além disso, ele possui uma potente ação antioxidante, combatendo os radicais livres até mesmo prevenindo doenças degenerativas, como o Alzheimer." 
Postar um comentário