Stúdio Old Tattoo

Stúdio Old Tattoo
Old Tatoo

Kakebo, o método japonês para aprender a economizar


Organizar as finanças pessoais é uma questão complicada até mesmo para os especialistas no assunto. Para a maioria, o problema está justamente no salário: é pouco e nada sobra no final do mês. Mas, uma técnica japonesa de economia garante que é possível economizar e juntar um montante significante no final do ano, mesmo que ganhando pouco. Conheça o Kakebo, método japonês de gerenciamento das finanças.

O que é o Kakebo
Kakebo (家計簿) significa literalmente “livro de contas para a economia doméstica”. Sua origem remonta à Motoko Hani (1873 a 1957), pensadora vanguardista do Japão, considerada uma das responsáveis pela modernização de seu país. É também mencionada na história como a primeira jornalista mulher do Japão.

 Em 1903, Motoko foi responsável pela criação da revista Fujin no tomo, publicação feminina mais antiga do Japão. Através das edições, Motoko Hani ensinava como as leitoras poderiam registrar suas despesas e poupanças, melhorando drasticamente o cenário de economia doméstica e finanças pessoais. Assim, em 1904 o primeiro Kakebo foi lançado e desde então é bestseller na área.

Como funciona o Kakebo e seus benefícios
Em termos práticos, o Kakebo é uma tabela financeira onde todos os valores serão anotados. Nesta tabela, as receitas e as despesas fixas estarão sempre presentes, como ponto de orientação inicial. Embora pareça simples, a utilização do Kakebo é capaz de:

• Ajudar a economizar
• Gerir as receitas e despesas
• Evitar o estresse da gestão financeira ruim
• Desenvolver autodisciplina
• Promover autoconhecimento
• Promover a tranquilidade da alma


Além disso, mesmo que tenha o aspecto de uma simples tabela financeira mensal, o Kakebo propõe reflexões profundas a respeito da utilização do dinheiro. Assim como no início de cada mês são incluídas as despesas, receitas e objetivos, ao final analisa-se o que foi alcançado e o que foi deixado de lado, e, por quais motivos se obteve sucesso ou fracasso.

Para que possamos entender mais facilmente, tomaremos como exemplo, além das receitas e despesas, os objetivos de cada mês. Supondo que o objetivo seja economizar 50 reais por mês na poupança para uma viagem no final do ano, este objetivo deverá ser anotado na tabela. Ao final do mês, você deverá verificar se o seu objetivo de economia foi alcançado.


Se sim, basta seguir mensalmente na mesma economia. Caso contrário, ou seja, caso não tenha conseguido guardar o dinheiro objetivado, então você deverá analisar qual fato ou qual momento das despesas que quebrou com o ciclo da sua economia, para que você possa superá-lo no próximo mês.

Além disso, é importante que o valor economizado permaneça intocado e intocável. Isso significa que, caso tenha conseguido economizar 50 reais (como no exemplo), este valor não deverá ser retirado por quaisquer imprevistos que sejam, uma vez que você já terá organizado (com a ajuda do Kakebo), valores que serão destinados exclusivamente para imprevistos.


Muito mais importante do que o objetivo estabelecido (viajar, comprar uma moto, carro, casa nova, etc.), é entender quais são as despesas supérfluas mensais. Com a utilização do Kakebo, você será capaz de organizar e destinar um determinado valor para cada tipo de despesa (ex: alimentação, sobrevivência, farmácia/saúde, transporte, filhos, animais de estimação e etc.). Todo este gerenciamento de finanças é feito no início do mês para que os resultados sejam verificados ao final do período em curso.

Conforme você conhece o sistema, é possível criar as suas próprias tabelas para o método Kakebo. Você também pode comprar tabelas prontas ou consultar livros sobre o assunto. Uma versão online e resumida do método pode ser encontrada clicando aqui.
Postar um comentário