A incrível garotinha russa de quatro anos que fala sete línguas diferentes


À primeira vista, Bella Devyatkina, de Moscou, na Rússia, parece uma típica criança de quatro anos. Porém, experimente fazer-lhe uma pergunta em russo, inglês, francês, espanhol, alemão, chinês ou árabe, que seu queixo certamente irá cair.

Bella ficou famosa no mundo inteiro quando apareceu em um show de talentos na TV russa, onde falou sete línguas diferentes, atordoando os juízes e milhões de telespectadores. Logo, um vídeo do YouTube sobre seu desempenho ficou viral. Desde então, Bella já foi convidada para aparecer em uma variedade de programas.

Mas como uma menina de quatro anos aprende tantas línguas em um período tão curto de tempo, quando a maioria de nós passa anos tentando aprender apenas uma língua estrangeira?

A mãe de Bella, Yulia, disse que ela e seu marido começaram a ensinar inglês para a filha quando ela tinha apenas dois anos de idade. Depois de perceber seu interesse e a facilidade com que aprendia, eles decidiram gradualmente adicionar mais idiomas ao seu cronograma, contratando tutores nativos para cada nova língua.

Aos três anos e meio de idade, Bella já falava duas línguas. Ela dominou mais duas nos próximos seis meses.

No vídeo abaixo, você pode ver o talento impressionante da garotinha. Ela responde a tudo que lhe perguntam nas diferentes línguas, mostrando que pode realmente entender todas. No mínimo, ela tem a melhor memória de qualquer criança com quatro anos de idade no mundo.


Enquanto a maior parte das pessoas ficou chocada com a habilidade da menina de falar seis línguas estrangeiras, a neuropsicóloga russa Anna Semenovich nos lembra que, na Rússia do século XIX, falar várias línguas estrangeiras era comum para crianças de famílias reais.

“Na Rússia pré-revolucionária, se uma criança de uma família nobre não podia falar três ou quatro línguas antes dos cinco ou seis anos, era uma vergonha. Também, na escola, o latim e o grego antigo eram ensinados. Assim, cinco a seis línguas era um pacote padrão para um jovem educado na Rússia do século XIX”, explica Semenovich.

A neuropsicóloga também diz que só poderemos dizer se Bella Devyatkina tem habilidades verdadeiramente especiais quando ela atingir 15 a 20 anos. Como exemplo, ela cita os prodígios musicais: algumas crianças possuem habilidades auditivas e de canto notáveis, mas as perdem à medida que envelhecem. Ou suas vozes mudam, ou elas simplesmente perdem o interesse pela música.

Semenovich afirma que muito trabalho é necessário para que as crianças alcancem todo o seu potencial, além de condições favoráveis, como professores talentosos, um ambiente criativo e uma atmosfera de amor e apoio. “Quero desejar a essa garota boa sorte, mas o público precisa entender que o caminho para a verdadeira genialidade é custoso. É por isso que a maioria dos prodígios não atingem todo o seu potencial”, concluiu.

Ainda assim, muitos argumentam que só o fato de Bella ter se tornado fluente em línguas pertencentes a três grupos diferentes – indo-europeu (russo, francês, inglês, espanhol, alemão), semita (árabe) e sino-tibetano (chinês) – sem muitas semelhanças estruturais entre si já é inacreditável.
[ Revoada ]
Postar um comentário