Stúdio Old Tattoo

Stúdio Old Tattoo
Old Tatoo

Crosby, Stills, Nash & Young - "Almost Cut My Hair"


Crosby, Stills, Nash and Young é um supergrupo de folk rock surgido em 1968, os membros do grupo eram oriundos de outras bandas. A princípio a banda surgiu como um trio formado por David Crosby, Stephen Stills e Graham Nash. Com esta formação, lançaram o primeiro álbum e participaram do lendário Festival de Woodstock. Mas em 1970 o grupo desejou ter um quarto integrante e a primeira escolha, John Sebastian do Loving Spoonful, recusou o convite. Neil Young foi escolhido para ocupar o lugar antes oferecido a Sebastian.

O quarteto é conhecido por seus arranjos vocais contrastantes, letras bem elaboradas, estilo musical que varia entre o folk e pop melódico e relação de amor e ódio entre seus integrantes. Desde seu surgimento a banda já se separou mais de três vezes, mas Crosby, Stills, Nash e Young sempre voltaram a tocar juntos, tanto é que estão em turnê até os dias de hoje, mas neste caso, sem a presença de Neil Young.

David Crosby
Em 1964 Crosby juntou-se à banda The Byrds e com eles esteve durante seus maiores sucessos, como “Turn, Turn, Turn” e “Mr. Tambourine Man” . Em 1967, Crosby ofereceu sua canção "Triad" aos seus parceiros de banda, mas por tratar de um assunto que desagradava Roger McGuinn ela foi recusada e devido a tensões entre o grupo o envolvendo, Crosby foi expulso do grupo, pouco após a aparição do grupo no Monterey Pop Festival. Durante o tempo em que ficou ausente dos palcos produziu o primeiro álbum de Joni Mitchell e nele consta a canção “Woodstock” que mais tarde seria regravada pelo CSNY. Em 1971 após a primeira separação do quarteto, lançou um disco solo chamado “If I could only remember my name” . O músico tinha sérios problemas com drogas e em 1985 foi encontrado em posse de cocaína e uma arma. Ficou nove meses na prisão após ter cumprido programa de reabilitação, dessa forma livrou-se de cinco anos de cadeia. No mesmo ano foi convidado a participar do Live Aid junto de seus parceiros musicais e recebeu liberação da justiça para fazê-lo. Seu envolvimento com drogas o levou a um transplante de fígado no ano de 1994. David Crosby tem três álbuns gravados com seu filho.

Stephen Stills
Stills foi vocalista, guitarrista e principal compositor do Buffalo Springfield desde sua formação em 1966 até 1968, ano em que a banda terminou. Logo após juntou-se a Crosby e os dois passaram a fazer jam sessions, iniciando o que mais tarde se tornaria um quarteto. Em 1971, durante carreira solo, teve sua canção “Love the one you’re with” na quarta posição da parada musical americana. E após um dos vários retornos do Crosby, Stills, Nash and Young o músico foi responsável por quase 100% do disco muito aclamado pelos críticos “Looking Foward” , de 1999.

Graham Nash
O inglês Graham Nash, ex integrante do The Hollies (banda que integrou o movimento denominado de Invasão Britânica), foi o terceiro a integrar o CSNY e deixou sua primeira banda por divergir da linha musical que vinham seguindo, incluindo ter sua canção “Marrakesh Express” recusada. Como integrante do Crosby, Stills and Nash pôde gravar sua composição que se tornou o primeiro sucesso da banda, seguido por “Suite: Judy Blue Eyes”, escrita por Stills. Após a primeira separação do quarteto, Nash e Crosby lançaram um álbum juntos e seguiram em turnê durante o início dos anos 70.

Neil Young
O canadense Neil Young também foi integrante do Buffalo Springfield, porém saiu da banda em 1967 durante o Festival Pop de Monterey. E enquanto estava seguindo carreira solo foi convidado por Crosby para integrar o que agora se tornaria um quarteto. Neil Young contribuiu com o grupo com canções como “Ohio” que surgiu após a Guarda Nacional dos Estados Unidos ter matado a tiros quatro estudantes que estavam em manifesto contra a guerra. Junto de Stills lançou um álbum, “Long May You Run” no ano de 1976, porém deixou Stills durante a turnê no mesmo ano. Sua carreira solo foi bem sucedida, onde lançou o clássico álbum "Harvest" (com o sucesso "Heart Of Gold") e hits como "My, My, Hey, Hey" e "Rockin' in the Free World". Nos anos 90, Neil Young foi consagrado o “deus do grunge” por bandas famosas no cenário musical da época, como o ainda ativo Pearl Jam.

Postar um comentário