Stúdio Old Tattoo

Stúdio Old Tattoo
Old Tatoo

Quem é o golpista nessa história?

Não gosto muito de tocar no assunto política aqui no Baú, já que o criei para diversão e, principalmente, criar um grande álbum com a minha família e amigos. Mas como gostei muito das indagações e recordações do jornalista Mario Sabino, compartilho com os amigos. 
Em tempo: tenho memória, mas às vezes ela precisa ser ''provocada'' e sou contra todo tipo de ação errada, inclusive aquelas que às vezes e sem intenção acabei eu mesmo promovendo. Não me lembro de ter feito nada errado, que causasse prejuízos a terceiros, de forma intencional. Leiam e entenderão. 
 
Por Mario Sabino, no O Antagonista
 
Em 1985, o PT se recusou a votar em Tancredo Neves, porque não via legitimidade na única forma de dar um ponto final no regime militar -- a eleição indireta, depois do malogro do movimento "Diretas Já".
 
O PT votou contra a aprovação da Constituição Federal de 1988, a pedra angular do nosso ordenamento jurídico, porque queria um texto "mais radical" -- o que inviabilizaria o governo, como reconheceu bem mais tarde o próprio Lula.
 
O PT foi contra o Plano Real, que eliminou a hiperinflação, porque acreditava que o "quanto pior, melhor" o levaria ao poder. Sete anos depois, teve de fazer uma "carta ao povo brasileiro", para sossegar o mercado e não afundar o país com a eleição de Lula.
 
Uma vez presidente, Lula instituiu o mensalão, para corromper a democracia através da compra de parlamentares, e transformou os programas sociais em simples distribuidores de esmolas, a fim de ser reeleito. Também apostou irresponsavelmente no crédito farto para sustentar o crescimento, endividando milhões de brasileiros pobres -- que, assim, tiveram a ilusão de ter ascendido socialmente.
 
Com Dilma Rousseff na presidência, a economia entrou em parafuso, por causa do aumento do gasto público de maneira exponencial, da falta de investimentos que já vinha da administração anterior, e do petrolão, o maior esquema de corrupção de que se tem notícia, iniciado por Lula paralelamente ao mensalão.
 
Para ser reeleita, Dilma usou dinheiro desviado da Petrobras, hoje de joelhos, e lançou mão das pedaladas fiscais, para encobrir que as contas do governo estavam fora de controle. Como resultado do descalabro de quase catorze anos, a inflação assombra os cidadãos, assim como o desemprego e a falta de perspectiva para os mais jovens.
 
Às vésperas de ser saída do Palácio do Planalto, Dilma ignorou o Tesouro e, com a intenção de deixar uma herança fiscal ainda mais maldita para Michel Temer, aumentou o Bolsa Família em 9% e reajustou a tabela do Imposto de Renda em 5%.
 
Diga você: quem é o golpista nessa história?

Mario Sabino (São Paulo, 07/04/1962) é um jornalista e escritor brasileiro. Foi redator-chefe da revista Veja até o final de 2011. 
Em 2015, fundou juntamente com Diogo Mainardi o site O Antagonista
Postar um comentário