Os criminosos mais burros do mundo

Casos inacreditáveis do momento errado, de má avaliação e de burrice pura e simples.


Questão de mobilidade
Um homem de 23 anos, na fila do caixa de um supermercado em Stuttgart, na Alemanha, estava prestes a pagar duas latas de refrigerante quando foi abordado por dois funcionários da loja. Eles o tinham visto furtar. O rapaz saiu correndo. Mas, enquanto corria, as mercadorias que enfiara nas calças caíram por uma das pernas; ele tropeçou e se estatelou no chão, onde os funcionários o seguraram para esperar a polícia.

Bata, fuja, repita
Um rapaz de 21 anos, com a namorada e um amigo no carro, percorreu algumas centenas de metros e bateu numa picape. A situação não era nada favorável ao rapaz de Innsbruck, na Áustria. Eram sete da manhã, em outubro de 2015, e ele e os amigos tinham passado a noite numa taberna local; agora ele seria acusado de dirigir bêbado e de fugir do local do acidente. O rapaz pensou depressa – com a velocidade permitida pelo cérebro nublado – e decidiu esconder o carro.
Com cuidado, conseguiu dirigir o veículo avariado até um pátio próximo. Mas, assim que parou, percebeu algo importante: o pátio era o estacionamento da delegacia local. Antes que alguém notasse, ele tentou bater em retirada, mas bateu foi em outro carro. Boa notícia: não era uma radiopatrulha. Má notícia: era o carro particular de um policial. Dessa vez, quando o rapaz tentou fugir, seu carro não funcionou. A polícia chegou ao local quase imediatamente.

Mordeu sem assoprar
Em maio do ano passado, um rapaz resolveu arrombar um apartamento no subsolo de um prédio de Włocławek, na Polônia. Quando um dos moradores o viu e o enfrentou, houve briga. Na tentativa de escapar, o bandido mordeu o braço do morador. Não deu certo, e agora o bandido tinha cometido o crime de “ataque a policial”, além de “arrombamento e tentativa de roubo”, e poderia passar dez anos na cadeia. O morador era um policial de folga.
Mas, dois meses depois, em liberdade sob fiança para aguardar o julgamento, o bandido resolveu arranjar um dinheirinho do único jeito que conhecia: furtando. Ele avistou três homens numa obra; quando eles se viraram de costas, o ladrão pegou a sacola de ferramentas e saiu correndo. Dois dos três homens eram policiais e o perseguiram, com outro morador que assistira ao furto. Quando o trio o alcançou, o bandido recorreu à sua arma secreta: mordeu o perseguidor. A única “sorte” do bandido foi, dessa vez, enfiar os dentes no civil – assim ele evitou outra condenação por atacar policiais.

Preso duas vezes
Na cidade de Radovljica, na Eslovênia, um homem que planejava roubar uma loja de louças acabou preso duas vezes.
Depois de arrombar a pesada porta da frente, ele não teve forças para abri-la toda. Quando tentou se esgueirar, ela se fechou e prendeu sua perna. Ele não conseguiu se soltar e lá ficou até a polícia aparecer para prendê-lo.

Quem não lê chora
A desatenção de dois candidatos a bandidos na cidade holandesa de Enschede foi sua ruína. Os dois arrombaram uma joalheria em julho do ano passado e tiraram todas as peças da vitrine. Mas não viram a placa que dizia: “Todos os anéis e joias expostos são apenas modelos.”
No final, não teve importância, porque os vizinhos ouviram o barulho de vidro quebrado e chamaram as autoridades. A polícia prendeu um dos suspeitos no local; o outro conseguiu fugir, mas foi preso alguns meses depois.

Gente que faz também dança
Um empreendedor de 32 anos de Lyon, na França, segue os livros direitinho: estuda o mercado, anuncia bastante e até oferece amostras grátis da mercadoria para atrair novos fregueses. O único defeito do plano de negócios: seu produto são drogas ilícitas.
Ano passado, o homem encheu seu bairro em Villeurbanne, na periferia de Lyon, de folhetos chamativos como os de supermercado, prometendo até entrega em domicílio grátis de pedidos de mais de 100 euros. A campanha chamou a atenção de possíveis clientes, mas também da polícia local. Quando invadiram sua casa no final de agosto de 2015, os policiais encontraram 102 gramas de resina de Cannabis, e o homem foi preso.

Eduque bem os filhos
Na aldeia húngara de Batmonostor, o plano de uma mulher de roubar uma casa se frustrou quando ela tentou pular a cerca e ficou com a calça presa no arame farpado. Enquanto estava ali, pendurada e indefesa, um vizinho a avistou e ligou para a polícia. Acontece que a polícia já conhecia a residência. A mesma casa fora alvo de outra tentativa de roubo, também sem sucesso, por parte do filho da mulher.

Quem tudo quer tudo perde
A noite tinha sido ótima para um ladrão de Bonn. Sem ser visto, o alemão de 43 anos arrombou a porta lateral de uma casa e pegou um notebook e um smartphone. Chegou até a fazer um lanchinho com o que havia na geladeira. Aí, avistou um quartinho de guardados e, não resistindo, foi verificar também o que continha. Enquanto estava lá dentro, a porta bateu e se trancou. Ele puxou o celular e pediu socorro. Como não tinha cúmplices, foi forçado a recorrer a uma segunda opção bem pior: a polícia. Os agentes chegaram, encontraram a casa arrombada, o produto da ação do bandido na sala e o prenderam.
Postar um comentário